Instituto Gustav Ritter


15 de novembro de 2017

O Instituto Gustav Ritter comemora hoje os 29 anos de inauguração que ocorreu em 16 de novembro de 1988, no bairro de Campinas. O Instituto nasceu Centro Cultural e o prédio, em estilo art-déco tardio, teve sua construção iniciada em 1946 pelo padre Oscar Chaves, foi concluído em 1950 pelo Padre Antônio Penteado e tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Estado de Goiás pelo decreto n° 4.943 de 31 de agosto de 1998.

Por meio da Lei n. 19.372 de 30 de junho de 2016 o Centro Cultural passou a ser Instituto de Educação em Artes Gustav Ritter, unidade de ensino e formação artística da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (SEDUCE), onde funcionam os Núcleos de Música, Dança e Teatro.

“Essa mudança tem um papel muito importante na formação artística de centenas de crianças, jovens e adultos nas áreas de música, teatro e dança, possibilitando e inspirando o desenvolvimento de suas habilidades artísticas. Contribui ainda de uma maneira muito especial para a democratização do acesso à cultura do Estado de Goiás exportando talentos para o mundo”, ressalta Raquel Teixeira, secretária de Educação, Cultura e Esporte do Estado de Goiás.

12 horas de Arte Viva

Um dos principais eventos promovidos no primeiro semestre de 2017 é o Arte Viva que ofereceu para toda a comunidade 100 apresentações artísticas em 12 horas de atividades realizadas em toda escola e no palco aberto, com mais de 1.700 pessoas envolvidas no planejamento, organização e realização do evento, entre professores, alunos e servidores.

“O Projeto Arte Viva é a manifestação da diversidade cultural que agrega a todos. É também uma forma de devolvermos para a sociedade, que tanto nos apoia e confia, belíssimas apresentações artísticas, além mostrar como nossos alunos e corpo docente são dedicados e talentosos”, explica Edmar Carneiro, diretor do Instituto Gustav Ritter.

Fabrina Müller, vice-presidente da OVG, participou do evento e ressaltou que o Arte Viva é a manifestação da diversidade cultural que agrega a todos.

Implantação do Curso Técnico Profissionalizante de Teatro

No segundo semestre de 2017 o Instituto Gustav Ritter, em parceria com o Programa MédioTec, implantou o Curso Técnico Profissionalizante de Teatro criado e orientado por profissionais das artes cênicas do Estado de Goiás. Foram selecionados 25 alunos dos 40 inscritos, o que permitiu formar uma lista de espera. As matérias englobam interpretação teatral, corpo e voz, noções de maquiagem, cenografia, iluminação e cenotécnica e cinema.

João Peres Júnior, superintendente do Ensino Médio e Educação Profissional, destaca que o Estado de Goiás sempre foi considerado importante pelos produtores teatrais do Brasil e uma referência de boa acolhida de público para os projetos cênicos que circulam pelo país. Para ele o curso oferece condições para que o estudante desenvolva as competências profissionais, amplie as possibilidades de acesso ao mercado de trabalho e de atuação e interação com outros profissionais da área.

Números do Instituto Gustav Ritter

  • Inscritos: 150 pessoas inscritas nos três núcleos – música, dança e teatro
  • Matrículas: 350 alunos matriculados nos três núcleos – música, dança e teatro
  • Eventos realizados: 130 – Recitais, workshops, apresentações da Orquestra Jovem, Banda Sinfônica, práticas de conjunto, aula pública, espetáculos de dança, festivais, capacitação para os docentes, workshops, cursos, espetáculos teatrais.
  • Público estimado: 30 mil pessoas
  • Prêmios recebidos:
    • Em Joinville (SC) – 35º Festival de Dança
      • Balé Juvenil – 1º lugar nas categorias Duo Sênior; Solo feminino sênior e na variação feminina sênior
      • Balé Jovem – 1º lugar no conjunto júnior
    • Em Uberlândia (MG) – 5ª Semana da Dança
      • Balé infantil – 1º lugar na categoria júnior
      • Balé Jovem – 1º lugar no Gênero Conjunto – Categoria Júnior.
    • Em Taguatinga (DF) – Taguatinga Dança 2017
      • Balé infantil: 1º lugar – Categoria Clássico Livre
      • Balé Infantil: 2º lugar – Categoria variação de Repertório Feminino Infanto Juvenil
      • Balé Infantil: 3º lugar – Categoria variação de Repertório Feminino Infanto Juvenil
      • Balé Juvenil: 3º lugar – Categoria variação de Repertório Feminino Juvenil

 

Compartilhe nas redes sociais